Daniel Kaufmann: diminuição da corrupção colocaria Portugal a par da Finlândia

Artigo publicado por responsável do Banco Mundial

Daniel Kaufmann: diminuição da corrupção colocaria Portugal a par da Finlândia


Daniel Kaufmann, responsável do Banco Mundial, considera que a diminuição da corrupção em Portugal poderia colocar o país ao nível da Finlândia em termos de desenvolvimento.

Daniel Kaufmann, director dos Programas Globais do Instituto do Banco Mundial, defende esta questão num artigo publicado hoje na revista trimestral do Fundo Monetário Internacional, "Finance and Development", divulgada no sítio oficial da organização na Internet.

Kaufmann afirma que o "controlo da corrupção" poderia, por exemplo, colocar em termos de desenvolvimento a Guiné Equatorial ao nível do Uganda, o Uganda a par da Lituânia, a Lituânia no patamar de Portugal e Portugal ao nível da Finlândia.

O texto, intitulado "Dez mitos sobre governação e corrupção", aborda várias questões, nomeadamente o impacto da governação no desenvolvimento.

"A pesquisa mostra que em geral os países podem extrair um muito grande 'dividendo de desenvolvimento' da melhoria da governação", escreve Daniel Kaufmann.

O mesmo responsável considera também que um país com uma governação forte pode triplicar o rendimento "per capita" da população a longo prazo, assim como reduzir a mortalidade infantil e a iliteracia.


In PUBLICO.PT

O artigo original (em inglês) pode ser lido aqui

Comentários

Mensagens populares